Viva o Carnaval! Brasil o País do Carnaval, Samba, Futebol, Praia e Cerveja.

Saindo na bateria da Escola de Samba Minas de Ouro - São Sebastião do Paraíso-MG

Saindo na bateria da Escola de Samba Minas de Ouro – São Sebastião do Paraíso-MG

Entre outras belezas naturais (incluindo entre elas a mulher brasileira), o Brasil é conhecido como o país do Carnaval, Samba, Futebol, Praia e Cerveja, mas já não sei se podemos conceber esta classificação como verdadeira para a grande maioria da população. Eu gosto de todos estes itens, mas estou vendo que está ficando difícil pagar este luxo.

Vejamos:

Segundo pesquisa realizada através do link (http://www.ingressosligasp.com.br/regulamento.asp#informacoes) os preços para assistir ao desfile das escolas de samba do grupo especial, em São Paulo, variam entre R$ 90,00 e R$ 190,00 para arquibancada, sendo que para cadeira e mesas de pista os valores vão de R$ 370,00 a R$ 2.420,00. Se uma família paulista, composta por quatro pessoas, tiver a intenção de assistir aos desfiles, ainda que escolher o menor preço para arquibancadas, cujo conforto eu classifico como ruim, irá gastar R$ 360,00, montante que representa quase metade de um salário mínimo vigente no país. Acredito que no Rio de Janeiro os valores sejam superiores em razão de ser um carnaval mais conhecido.

FUTEBOL PAIXÃO DO BRASILEIRO.

Assistindo ao Futebol

Assistindo ao Futebol

Quando o assunto é o “popular futebol brasileiro”, caso queiramos ir aos estádios para assistir um clássico, facilmente iremos nos deparar com custo médio do ingresso em torno de R$ 100,00. Na última copa do mundo, realizada aqui em nosso país, os valores médios, para um lugar razoável, estavam em torno de R$ 700,00, sendo que com certeza saborear esta paixão não foi possível para a grande massa da população brasileira.

BEBER CERVEJA ESTÁ QUASE UM LUXO

Sagrada Cervejinha

Sagrada Cervejinha

A nossa sagrada cervejinha então, nem se fala. Até pouco tempo pagávamos em torno de R$ 1,50 para saborear uma latinha de qualidade razoável e hoje você deve pagar em torno de R$ 2,50 para comprar uma entre as duas marcas mais famosas, ou seja, comprando quatro latinhas lá se vão dez contos e, convenhamos, quatro latinhas em dia de calor não chega a ser suficiente como diria meu amigo clayton.

DEPENDENDO DA PRAIA QUE QUISER CONHECER, PREPARE SEU BOLSO.

Salvador-BA

Salvador-BA

Alta temporada pode esquecer. Mesmo em baixa temporada, por exemplo, se você quiser um pacote de sete dias em uma das lindas praias do nordeste brasileiro, considerando estadia, transporte e alimentação para uma família composta por quatro pessoas, facilmente você encontrará pacotes com custo a partir de R$ 10.000,00. Assim, considerando que o salário médio do brasileiro está em torno de R$ 1.200,00, segundo divulgação no link http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2014/04/salario-medio-alcanca-patamar-de-r-1-166-84, curtir a praia dos sonhos pode ser inviável para muitos. Uma viagem como esta poderia representar quase que a receita anual do trabalhador médio brasileiro.

Assim, estou chegando à conclusão de que aquele país do carnaval, samba, futebol, praia e cerveja está ficando inviável para a maioria dos brasileiros. Manter este luxo está cada vez mais difícil e aquele que quiser desfrutar de tais prazeres terá que desembolsar uma boa grana ou fazer um super planejamento para tanto.

Enfim, o Brasil do carnaval, samba, futebol, praia e cerveja tornou-se um país caro para se viver.

E o que nos resta fazer?

Bem. Temos uma das cargas tributárias mais altas do mundo, em torno de 35% de nossa receita, e infelizmente não temos o correspondente repasse dos benefícios públicos que justificaria esta alta carga tributária.

Mesmo os serviços privados que nos são oferecidos, tais como serviços de telefonia, saúde, serviços bancários, vestuário ou alimentação, apesar de caros, em minha opinião deixam a desejar.

Portanto, a forma de nos defendermos é começarmos a exigir serviços e produtos de primeiro mundo, já que a tributação e o preço final são, muitas vezes, até superiores aos praticados no primeiro mundo. Não é a toa que segundo informações do site UOL economia Os brasileiros gastaram em viagens internacionais a cifra recorde de US$ 25,342 bilhões em 2013, superando os US$ 22,233 bilhões de 2012.”

Devemos começar a exigir maior respeito enquanto cidadãos consumidores e pagadores de impostos. Não aceitar mais uma escola de péssima qualidade, a insegurança, ou sermos maltratados nos órgãos públicos, ou termos que tolerar atrasos de uma, duas ou três horas para assistir a um show, ou sermos mal atendidos em restaurantes, lojas, teatro, cinema, comércio em geral etc, pagando caro, mas recebendo atendimento, produtos e/ou serviços de má qualidade.

Devemos exigir tratamento digno e, quando não alcançado, reclamar nos canais onde possamos colocar nossas opiniões, pois somente assim iremos, aos poucos, conseguir respeito e mostrar que o brasileiro é bonzinho, mas não é bobo.

Assim, caros amigos, se adotarmos um comportamento no sentido de exigir mais respeito enquanto cidadãos e consumidores, ai poderemos curtir melhor nossos carnavais, nossos sambas, nossas praias, não aceitar mais pagar caro por uma partida de futebol e tomar um chocolate de 7×1. No mais, em relação à apreciação de nossa cerveja, acho que o brasileiro está merecendo um produto de melhor qualidade, porque as nacionais, pelo menos as que eu estou consumindo com parcimônia, estão caras e com um sabor que muito deixa a desejar.

Valeu, fico por aqui neste sabadão de carnaval e desejo a todos uma ótima folia, mas com consciência, e que após o carnaval possamos vestir a fantasia de cidadão para exigirmos mais respeito. Durante o carnaval o brasileiro faz a alegria de muitos, mas precisamos aprender a exigir que outros também nos façam sorrir um pouco mais.

Até a próxima e um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>